Aguenta coração, aguenta barrigão

Qual é a probabilidade de, na semana em que o Pedro inicia um protocolo hospitalar de indução de tolerância oral ao leite, vulgarmente chamado de dessensibilização (e sobre o qual ainda não estou preparada para falar aqui), esta que vos escreve tem um descolamento da placenta (entre outros achaques relacionados com a gravidez) que a atiram para repouso absoluto, sem passar pela casa de partida nem receber 10 euros? Elevada, se estivermos a falar desta família nascida e criada sob o “signo de Calimero”.

Eis as razões deste silêncio de mais de um mês. Demasiadas emoções para gerir.

2 thoughts on “Aguenta coração, aguenta barrigão

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *