Inspira, expira

Os primeiros dois anos do Pedro foram terríveis a nível respiratório. Não exagero se disser que, cada dente que nascia trazia uma bronquiolite como “brinde”. Foi nessa altura que comecei a ouvir, nos consultórios por onde passava, a expressão “marcha alérgica”, sobre a qual escrevi aqui.

Agora, com quatro anos e meio, e ainda a fazer medicação diária e ininterrupta para estas maleitas respiratórias, o cenário é bem mais animador. Tanto que, já fizemos provas de função respiratória para aferir a necessidade de continuar a medicação.

Para a semana saberemos o veredicto. Fingers crossed!

9ddbe825fee188e62202f541e2321eaf

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *