A primeira cruzada

Recebi uma mensagem que, com a devida autorização da autora (uma amiga de longa data e professora do 1º ciclo do ensino básico) agora publico. Faço-o porque este simples testemunho, evidencia muitas das dificuldades que fazem parte do dia-a-dia das pessoas com alergias alimentares. Entre elas:  inclusão na sala de aula, oferta escassa de produtos, preços exorbitantes, colaboradores de estabelecimentos comerciais pouco preparados.

Obrigada pelo testemunho, amiga! Os teus alunos têm muita sorte! 🙂

A Primeira Cruzada dos Frutos Secos

“Querido Copinho de Leite : hoje fui, por breves instantes, não um Copinho de Leite mas umas raspinhas de frutos secos!

Dirigi-me a um estabelecimento especializado em alimentação orientada a fim de comprar algo que não contivesse frutos secos ou vestígios, para dar aos alunos da minha turma. Uma vez que existe um aluno com este tipo de alergia, achei que, por uma vez esta criança deveria gozar de um momento de partilha total sem o habitual constrangimento de comer algo em separado. Decidi que todos deveriam comer o mesmo tendo em conta a alergia deste colega!

Lá entrei na dita loja com intenção de ser breve: errado! A leitura de rótulos e mais rótulos ( muitos deles em língua estrangeira e com letras nanoscópicas) não aligeiraram a minha tarefa. Consciente da minha pouca experiência neste ramo pedi ajuda a um colaborador que, rapidamente ficou mais atrapalhado que eu.
E o tempo a passar… Agradeci a ajuda (possível), tomei fôlego de Indiana Jones e pus mãos à obra!

Muitos e muitos minutos depois….lá me decidi por uns bolitos pouco atraentes para os meus pequenos amigos. Ufa!! Vamos lá pagar! Choque! Os bolitos pouco atraentes revelaram-se de bastante valor. Um valor que daria para comprar dois bolos de quilo cada um numa superfície comercial!

Imagino agora o que as mães e pais Copinhos de Leite devem passar diariamente pois o mundo é de todos sim senhor, mas não é para todos da mesma maneira!
Haja mais Blogs como O Copinho de Leite para esclarecer a população geral e promover a inclusão de todos neste velho/novo mundo da alimentação!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *